ABRAMAT: Regularidade é a expectativa da maioria na indústria de materiais de construção

A ABRAMAT (Associação Brasileira das Indústrias dos Materiais de Construção) divulgou o resultado de seu estudo do Termômetro mais recente. A pesquisa, feita entre os associados para determinar o grau de otimismo e pretensões de investimento futuras, aponta para uma expectativa regular, ou seja, nem positiva e nem negativa, para a maioria dos entrevistados. As percepções decorrentes das consequências da recente greve dos caminhoneiros devem ser capturadas na próxima edição.

Nas vendas ao mercado interno, filão que representa a maior parte do faturamento das associadas, a avaliação foi majoritariamente regular. 59% das empresas consideraram maio um mês “regular”. Indicaram o mesmo período como “bom” 27% das empresas, em detrimento de 09% que indicaram vendas “ruins” e de 05% que declararam desempenho “muito ruim”. Para junho, nota-se tendência de diminuição de impressões negativas e aumento na percepção “regular”, sendo essa a resposta de 68% dos entrevistados quando perguntados sobre a expectativa para o próximo mês.

Quando a questão lidava com a expectativa de ações governamentais, a tendência neutra se manteve. 77% das associadas enxerga com “indiferentes” as expectativas sobre ações governamentais para os próximos meses. O cenário eleitoral que leva a uma estagnação das obras de infraestrutura, somada aos recentes resultados positivos das vendas de material de construção no varejo fazem com que o olhar do empresariado esteja mais atento às vendas de reposição de estoque das lojas de materiais de construção do que necessariamente às grandes vendas ao governo, incorporadoras e construtoras.

O arrefecimento das expectativas positivas que eram maiores no início do ano se refletem na expectativa de investimento no médio prazo. Em maio de 2018, 55% das empresas que compõem a ABRAMAT indicaram ter pretensão de investir em sua capacidade produtiva, seja pela expansão, ou modernização dos meios de produção. O resultado é 10 pontos percentuais menor do que o observado mês passado, registrando o primeiro resultado mensal do ano abaixo dos 60%.

O que você achou? Comente