Sustentabilidade em obras de edificações.

Sustentabilidade em obras de edificações:

Introdução:

A construção civil representa uma das atividades de maior impacto ao meio ambiente, gerado pelo processo de execução das obras vinculado ao grande número de canteiros em atividade simultaneamente, o que vem despertando cada vez mais uma maior responsabilidade com as consequências da atividade. As práticas de sustentabilidade  estão em evidência em todo mundo e chegam com grande força ao Brasil. Vários estudos estão sendo realizados buscando orientar novas formas para diminuição dos impactos, hoje vamos falar um pouco sobre essas ações.

Bases da sustentabilidade:

Essas bases que vamos abordar agora servem como referência para pautar a elaboração de práticas e políticas para o desenvolvimento sustentável dos projetos, de modo que exista um equilíbrio no ganho econômico e manutenção do meio ambiente, os principais pontos que o empreendimento deve atingir para esse desenvolvimento sustentável são:

  • Ambiental.
  • Social.
  • Econômico.

O lançamento de sistemas de certificação em diferentes países e empreendimentos certificados visam atender essas três bases, acompanhe o artigo que fala de uma dessas certificações:

https://qualit.com.br/leed/

No atual cenário estudos apontam que os principais ganhos a partir do investimento no desenvolvimento sustentável é a diminuição dos custos operacionais em curto prazo (após um ano) e médio prazo (após 5 anos) e a valorização do empreendimento sustentável frente a empreendimentos não sustentáveis. As principais certificações que temos aqui são:

  • Leed.
  • AQUA-HQE.
  • Selo Procel Edifica.
  • Selo Casa Azul (Caixa).

De acordo com a Green BuildingCouncil (USGBC) o Brasil ocupa o 4º lugar no ranking mundial de construções sustentáveis certificadas pela ferramenta internacional LEED. A grande dificuldade para a manutenção dessa prática é a falta de consciência do público para essa questão que na maioria das vezes prioriza o valor final do projeto, e a falta do apoio e incentivos públicos.

 

O que você achou? Comente